Produtos Perigosos: como transportar e quais cuidados tomar?

Controle e gestão - 16 de junho de 2022

Se feito de forma inadequada, o transporte de produtos perigosos pode ocasionar diversos riscos para o ser humano e o meio ambiente. Por isso, é importante conhecer a legislação, e todos os cuidados necessários para que tais cargas sejam transportadas de maneira correta e segura. Veja tudo sobre esse assunto a seguir!

O que são produtos perigosos?

Produtos perigosos são todas as substâncias ou artigos que, por suas características físico-químicas, representem risco para a saúde das pessoas, para a segurança pública ou para o meio ambiente, como inflamáveis, radioativos, corrosivos e/ou tóxicos.

Classificações de produtos perigosos para transporte

Segundo a Resolução ANTT 5.232/16, mais de 3 mil itens são considerados perigosos. Podemos classificar os produtos perigosos em 9 categorias, são elas:

  • Gases;
  • Explosivos;
  • Corrosivos;
  • Sólidos inflamáveis;
  • Líquidos inflamáveis;
  • Substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos;
  • Substâncias tóxicas e substâncias infectantes;
  • Substâncias radioativas;
  • Itens e substâncias perigosas diversas.

O que diz a lei?

No Brasil, o transporte de cargas perigosas é regulamentado pela Lei nº 10.233/2001 e por resoluções da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), sendo a última a Resolução ANTT nº 5.947/21.

Nelas, você encontra padrões e normas técnicas de transporte; informações sobre a classificação dos produtos perigosos, como cada um destes tipos de carga devem ser identificados, embalados e sinalizados; documentação necessária para transporte; armazenamento; equipamentos de segurança adequados; e muito mais.

O que é MOPP?

O MOPP (Movimentação e Operação de Produtos Perigosos) é um curso especializado para condutores de veículos que transportam produtos perigosos.

Com ele, os condutores deste segmento se aperfeiçoam, qualificam e atualizam a fim de evitar riscos e sanar emergências, como reconhecer rótulos de risco, aprender todos os elementos de direção defensiva, telefones úteis, e até sobre equipamento de proteção individual (EPI).

Cuidados necessários para o transporte de produtos perigosos

Para garantir que as cargas perigosas não ofereçam riscos ao condutor, às pessoas e ao ambiente, alguns cuidados fundamentais precisam ser adotados. Caso tais cuidados não sejam levados a sério, ou mesmo quando eventuais acidentes na estrada comprometem sua integridade, uma série de problemas pode ocorrer, uma simples inalação pode causar graves intoxicações!

Confira alguns dos principais cuidados para transporte de produtos perigosos:

Sinalização

Para sinalizar veículos perigosos, são usados dois tipos de placas:

Losangos (mais conhecidos como Rótulos de Risco):

  •  Apresentam diversas cores e símbolos, correspondentes à classe de risco do produto a ser identificado.

Retângulos laranjas (mais conhecidos como Painel de Segurança):

  • Podem ou não apresentar duas linhas de algarismos.
  • Neles, a linha superior se refere ao Número de Risco do produto transportado, composto por no mínimo dois algarismos e, no máximo, pela letra X e três algarismos numéricos. 
  • A letra X identifica se o produto reage perigosamente com a água.
  • Na linha inferior encontra-se o Número da ONU (Organização das Nações Unidas), sempre composta por quatro algarismos numéricos, cuja função é identificar a carga transportada.

Os veículos perigosos devem ter sua sinalização localizada na frente (painel de segurança, do lado esquerdo do motorista), na traseira (painel de segurança, do lado esquerdo do motorista) e nas laterais (painel de segurança e o rótulo indicativo da classe ou subclasse de risco, colocados na parte do centro para a traseira, em local visível).

Obs: Caso o Painel de Segurança não apresente nenhuma identificação, significa que estão sendo transportados mais de um produto perigoso.

Embalagem e armazenamento

É essencial que o posicionamento dos produtos perigosos sejam bem planejados tanto para estoque, quanto para sua embalagem, a fim de evitar problemas graves.

As embalagens dos produtos perigosos devem ser completamente vedadas e separadas para que não tenha contato com o externo. Em seu armazenamento, é necessário que os materiais estejam separados do restante do estoque, e protegidos de acordo com as normas de segurança de manuseio. 

Restrição de circulação

Para evitar ao máximo a exposição aos riscos das cargas perigosas, existem alguns limites para circulação dos veículos de transporte, como áreas com grande circulação de pessoas, reservatórios de água, ou mesmo de proteção ambiental.

É importante o gestor de frotas calcular bem as rotas dos caminhões com produtos perigosos (com atenção a leis específicas de algumas cidades e estados), assim como suas suas áreas de estacionamento, carga e descarga, evitando o descumprimento da ordem de restrição de circulação.

Veja também: Quais são os melhores indicadores para gestão de frotas?

Curtiu o conteúdo? Vem conferir mais dicas sobre leis, transportes, gestão de frota e muito mais no Blog Veloe

Conteúdos que podem ser do seu interesse